23
Out 11

A escolha recaiu sobre o tema porque desde sempre achei interessante perceber o poder da comunicação e de que forma, através dela se constroem consensos e até mesmo ideologias. 

Quando li o tema surgiu-me a ideia de fazer um estudo ao público de uma entidade cultural (p. ex. Serralves) para tentar perceber de que forma a informção e interpretada pelo espectador.

No entanto, após uma primeira reunião vi que o idealizado não ia ao encontro dos objectivos pretendidos pelo Professor, pelo que se tentou adequar as minhas expectativas com as expectativas do docente. 

Tendo por base os pressupostos teóricos indicados pelo Professor e aquilo que o tema me suscitou optou-se por fazer um estudo no Museu de Arte Contemporânea - Serralves.

O estudo incidirá sobre a análise dos objectivos do artista e de Serralves, verificar se de alguma forma os pressupostos do artista e da Instituição são alterados. Ver como o espactador reage perante a exposição, se o exposto foi discriminado no catálogo. Pesquisar nos media como a exposição é discrita e criticada a exposição. 

Sem duvida que o tema teria de ser ajustado aos desvios definidos, assim, e começando pelo título menciono três possibilidades:

  • ‘Arte: Estratégias e poderes comunicacionais’;
  • ‘Os poderes comunicacionais em Serralves’;
  • ‘Comunicação em Exposição: Exposições no Museu de Arte Contemporânea'.

 

Por aqui já se poderia delinear uma pergunta de investigação: ‘Que estratégias comunicacionais são adoptadas em instituições no Museu de Arte Contemporânea da Fundação de Serraves?’

 

 


07
Out 11

Quando vi o vasto leque de temas disponiveis para o desenvolvimento da tese, suscitou-me interesse o tema que intitula este blog.

Os objectivos e linhas a seguir seriam:

Como se detetam e analisam as formas de poder presentes nas relações sociais e sempre constituentes as retóricas públicas? Desde os autoritarismos até a  network society, os poderes sempre se instituem através uma relação estrita com a comunicação performativa para alcançarem (mais ou menos directamente) um consenso subjacente, ou seja para determinarem um senso comum. Mais do que uma plataforma de debate racional, o consenso é um regime específico do sensível, é a lei implícita que governa a ordem sensível.

Descodificar as caracteristícas dos poderes comunicacionais contemporâneos através duma leitura crítica e interpretativa dos interesses e das apostas em jogo no âmago dos sistemas sociais ligados aos comunicacionais. Estudar alguns casos específicos de construção mediática das prioridades políticas e sociais. Retomando a teoria do framing e da agenda setting: quem define as situações? As definições pertencem aos definidores e não aos definidos. O poder da distribuição das definições das situações é o núcleo do poder simbólico.  O poder e a comunicação, neste sentido, têm por objecto aquilo que vemos e aquilo que podemos dizer acerca do que vemos, acerca de quem tem competência para ver e qualidades para falar, acerca das propriedades dos espaços e das possibilidades do tempo. Importante, então, buscar e desconstruir  exemplos de retórica política e cultural eficazes na interpretação social da realidade. 

 


Outubro 2011
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1

2
3
4
5
6
7
8

9
10
11
12
13
14
15

16
17
18
19
20
21
22

24
25
26
27
28
29

30
31


subscrever feeds
arquivos
mais sobre mim
pesquisar
 
blogs SAPO